A representante da União da Indústria de Cana-de-Açúcar para América do Norte, Letícia Phillips, participou nos dias 9 e 10 de setembro da 6ª Annual Miami Sugar Conference, na Flórida (Estados Unidos). Durante o painel Regional Outlook, Phillips destacou a flexibilidade brasileira na produção de açúcar e etanol e a importância dessa possibilidade para manutenção do equilíbrio no mercado de açúcar.

A participação da UNICA faz parte do projeto setorial com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil).

“A diversificação no mix é importante não só para o equilíbrio no mercado, mas para geração de renda na área rural, aumento da segurança energética e, especialmente, para mitigação dos efeitos nocivos da poluição do ar e das mudanças climáticas”, destacou a representante da UNICA.

Phillips aproveitou para reforçar a importância da Política Nacional de Biocombustíveis brasileira, o RenovaBio, uma política de Estado de descarbonização do transporte, em linha com os compromissos que o Brasil assumiu mundialmente na Conferência do Clima, em Paris.

“O programa trará uma verdadeira mudança para o setor. O RenovaBio é uma resposta às demandas do setor por uma política setorial que estabeleça regras claras e previsíveis sobre o papel do etanol na matriz energética”, pontuou Letícia.

ÍNDIA

Durante a apresentação, Phillips disse que o Brasil está acompanhando de perto o último anúncio de subsídios ao açúcar na Índia. “Estamos tentando ajudar os indianos a encontrar uma alternativa para a sua produção de cana-de-açúcar, com a implementação do uso de etanol”, informou.

Os subsídios do governo indiano à produção de cana-de-açúcar e à exportação de açúcar estão sendo questionados pelos governos do Brasil, Austrália e Guatemala em três painéis na Organização Mundial do Comércio (OMC).

SUGAR CONFERENCE

O Miami Sugar Conference tem como objetivo traçar um panorama do mercado mundial de açúcar e etanol. Em sua 6ª edição, o evento contou com a participação de associações norte-americanas, da Guatemala, El salvador, Honduras e da International Sugar Organization (ISO).

Representantes do México, Índia, Argentina, Costa Rica e Colômbia também estiveram presentes na Conferência, que reuniu mais de 250 pessoas.

PROJETO

A Apex-Brasil e a UNICA publicaram, em fevereiro de 2008, estratégia para promover a imagem dos produtos sucroenergéticos no exterior, em especial do etanol brasileiro como uma energia limpa e renovável. As duas entidades assinaram um convênio que prevê investimentos compartilhados.

O projeto pretende influenciar o processo de construção de imagem do etanol e demais derivados da cana junto aos principais formadores de opinião mundial, bem como empresas de trading, potenciais investidores e importadores, ONGs e consumidores.